sábado, setembro 03, 2005

em terra de cegos quem tem olho é rei

Portugal estava a ganhar 4-0 ao Luxemburgo, quando apaguei a TV para me dirigir ao teclado.
estava farto de ouvir os comentários dos jornalistas da RTP1.
pareciam dois miúdos de 6 anos, entusiasmadíssimos com a nova playstation ou com a perspectiva de virem a ter um pónei.
adoram fazer comentários do género "este jogador do luxemburgo não joga nada", "isto parece um jogo de andebol mas só com uma baliza", "o árbitro está a ter uma exibição muito má.quer dizer, não tão má como a da equipa do Luxemburgo".
como podem comprovar, só frases muito boas de se dizer em TV, e nada tendenciosas.
claro que é fácil dar espectáculo contra equipas em que os jogadores nem sabem o que é uma bola. até eu jogo à brava contra um miúdo de 7 anos, e mesmo assim...
espero é que continuemos a cantar de galo quando jogarmos contra o Brasil ou a Inglaterra.
também espero que sejamos campeões do mundo, e não há ninguém que o queira mais que eu.
mas claro, se perdermos, seja no primeiro jogo ou na final, a culpa será sempre da falta de sorte, do árbitro, da relva, dos alhos e bugalhos, das rezas, dos espectadores ou da bola, que, coitada, não tem culpa de ser esférica...

1 comentário:

jesus cristóvão disse...

E esta pérola do Gabriel Alves, no mesmo jogo :

« Lances de grande penalidade são sempre para assinalar, seja dentro ou fora da área. »

 
origem