quarta-feira, dezembro 30, 2009

Jet Lag

Na vida há certezas inabaláveis.
Uma delas é a de que há pessoas que até para levantar o jackpot do euromilhões chegariam atrasadas.

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Ora Então

Bom Carnaval.
E lembrem-se:
A vida são dois dias e o Carnaval são três.

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Tripas À Moda da Luz

Ontem deslocou-se o (grande) autor ao estádio da Luz, para ver El Conejo y sus muchachos em acção.
À sua volta, na bancada destinada aos adeptos do Benfica, dezenas de adeptos com sotaque do Porto gritavam e praguejavam ao ritmo dos pontapés na bola.
Bamos, carago!
Filhu da pôuta!
Lebanta-te carago!
Naum é falta cousa nanhuma!
Filhu duma graunda pôuta!!
Ai agoura já naum dás amarelo éi?

E no meio desta gritaria toda, havia uma coisa que os unia...
O cachecol do Benfica ao pescoço.

Mas que grandioso clube é este que transforma nativos de uma cidade em adeptos de um clube da cidade rival?

quinta-feira, dezembro 17, 2009

8.2 na Escala de Merca... do da Ribeira

.
Hoje pela hora de almoço, deslocou-se o (grande) autor a um dos tascos habituais, onde, a propósito do sismo que se sentiu esta noite, lhe colocaram a seguinte questão:

- Atão, o Sr. tamém sentiu o epicenter?
.

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Oferta e Procura Pelas Ruas da Amargura

Por razões que a razão não desconhece, para evitar um linchamento em praça pública, o (grande) autor manterá no anonimato a pessoa que proferiu a frase que se transcreve.
É forte, mas é a opinião da pessoa, devendo ser respeitada.
(Hãn?!?)

Acerca da prostituição, disse a pessoa então:

"Não vejo qual é o mal. Uma pessoa quer comprar, a outra quer vender, não percebo que mal tem."
(Perceberam o Hãn?!?)

E de nada serviu tentar explicar que querer vender não é a mesma coisa que ter de vender.

terça-feira, dezembro 15, 2009

Sim Senhores

Dois comentários na notícia do Público Online sobre a agressão à igrejada a Silvio Berlusconi.
Por favor, notar a linguagem técnica, o italiano perfeito e até o uso da nova técnica de escrita, o "efeito eco":

"Tinha a mania que era galo. Assim, levou nas fuças. Por causa das Regazas, Raparigas e da Boémia..."

"Murro no Focinho, pensava que era galo... Toma lá... pimba no focinho. Não tem nada aaahaver com politica. Toma lá no Focinho para aprenderes...deres..."

...

quinta-feira, dezembro 10, 2009

M.T.T.D.

Hoje morreu a bisavó do (grande) autor, aquela a quem o gajo queria arranjar um trisneto falso.
Para quem não sabe, a história foi contada neste tasco, mais precisamente aqui.
Enfim, hoje provou-se mais uma vez que o que contam são os actos e não as intenções.
As intenções podem ajudar, ou não, mas ao fim e ao cabo, ou se faz ou não se faz, ou se é ou não se é.
Pensar que ia fazer ou queria ter sido?
Balelas.
Se um gajo quer fazer alguma coisa não pode dizer "epá, tenho de fazer isto ou aquilo".
Só resulta quando um gajo diz "epá, vou fazer isto ou aquilo".
Porque se assim não for, em 99% dos casos...
O mais tarde transforma-se em tarde demais.

quarta-feira, dezembro 09, 2009

No Alto do Palco

As chamadas artes de palco são muito mais complicadas do que as artes de bastidores.
Fazer um filme ou gravar um álbum é complicado e exige muita dedicação e criatividade, mas é feito no recanto do conforto.
Dar um concerto, representar uma peça de teatro, são outro tipo de coisa.
Não são melhores nem piores que as anteriores, não se lhes acrescenta ou retira mais ou menos mérito, mas são mais, como dizer, vivas.
São feitas no momento, são únicas por isso, só se fazem uma e uma só vez.
Os vídeos e as músicas rebobinam-se e carrega-se outra vez no play.
Os concertos e as peças de teatro são obras singulares, que no sábado são assim e no domingo são assado.
Há que dar o valor a quem sobe a um palco, mais do que a quem se senta a uma secretária e cria.
Mesmo sendo a mesma pessoa, aquele que sobe ao palco é mais artista que aquele que cria o que no palco é apresentado.
E tudo isto a propósito deste (também grande) autor.
.

domingo, dezembro 06, 2009

Quem TeVê

Na sala, sozinho, a televisão ligada fazia-lhe companhia.
Nem olhava para ela, não lhe ligava peva, mas ela ligada ligava-o ao resto do Mundo.
E ele gostava disso, de estar ligado ao Mundo, de não estar sozinho.
Só que naquela sala estava apenas ele, enquanto do outro lado do ecrã se juntavam aqueles quatro homens bem vestidos, à volta de uma mesa, conversando sobre qualquer coisa que não ouvia.
Porque a televisão estava ligada, mas sem som.
Preferia o som vindo do gira-discos.
Porque a televisão enchia mais a sala, mas não era preciso ouvir o que tinha para dizer.
E assim sempre podia ir olhando para os homens, vendo outras pessoas que não ele próprio, sentado à secretária, reflectido nas molduras dos inúmeros quadros que tinha na sala.
Porque raio teria tantos quadros pendurados?
Ai, a televisão, pensava ele, que boa companhia lhe fazia.
Pena é que ela não lhe respondesse de volta.
Quer-se dizer, responder, respondia, mas só o que lhe apetecia.

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Conteúdo Das Escutas

O (grande) autor teve finalmente acesso ao conteúdo das famosas escutas, em que estão gravadas conversas entre José Socas e Ar-mando-a-Vara-bem-longe

José Socas - Mas o meu tem a luzinha avariada, por isso às vezes deixo-o ligado e nem me apercebo, é uma chatice.
Ar-mando - Pois, mas olha que agora há uma promoção porreira naquela loja do Estádio da Luz, uns fornos bem bons, da Singer.
JS - Boa! Se o Major não me arranjar um forno porreiro que tenha sobrado da última campanha dou lá um salto.
AV - Olha, mas dá-me lá a receita do teu pão-de-ló de que tanto se fala...
JS - Epá ó Vara, mas tu não dês isto a ninguém, que eu só dou isto aos meus amigos.
AV - Está descansado.
JS - Epá é que depois aparece-me a receita aí em todo o lado e depois toda a gente sabe como é que eu cozinho estas merdas e perco a Estrela Michelin.
AV - Na boa, Zé.
JS - Ok, então... precisas de 6 ovos grandes, 200 gr de açúcar, 150 gr de farinha, raspa da casca de 1 laranja e 1 chávena de café de fermento em pó.
AV - Hmmm, os ovos têm de ser classe L ou podem ser classe M?
JS - Epá, é mais porreiro se for L, mas com M também te safas. Acho eu, que nunca experimentei com L. Mas olha, tenta, depois dizes-me como ficou.
AV - Ok.
JS - Bates as gemas com o açúcar até ficar assim um creme fofo e esbranquiçado, tipo a barriga do Jô Soares, tás a ver?
AV - Sim, mas sem os pêlos.
JS - Bates as claras em castelo, até que fiquem bem firmes e juntas 1 colher de sopa de açúcar.
AV - Firmes, sim.
JS - E depois juntas a raspa da laranja à massa, misturas as claras em castelo e a farinha peneirada juntamente com o fermento.
AV - Ai, que chatice, peneirar, não gosto nada.
JS - Pois, mas tem de ser. Depois deitas tudo numa forma grande forrada com papel vegetal e untado com margarina.
AV - Untar já gosto. Untar é comigo.
JS - Eheh. Bom, a seguir vai ao forno a 180 graus durante 30 a 40 minutos. Deitas o bolo em cima de uma grade e deixas arrefecer até o voltar para cima.
AV - E fica pronto?
JS - Epá, eu acho que fica mais porreiro se salpicares com açucar em pó. Fica mais docinho.
AV - Ok, obrigado pá.
JS - Ah, e podes servir com cházinho de camomila, que combina muito bem.
.

quinta-feira, dezembro 03, 2009

Fumar Faz Mal

E a beleza mata.
Helena Coelho. Jacqueline Bisset.

quarta-feira, dezembro 02, 2009

terça-feira, dezembro 01, 2009

Comunicado

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social decidiu retirar das grelhas de publicidade o chamado "anúncio-que-nunca-mais-acaba-porra" do Pingo Doce.
Ficou decidido que, por razões ainda a apurar, integrará o cartaz do programa "Onda Curta".
Por outro lado, a música do anúncio foi a escolhida para representar Portugal no próximo festival Eurovisão da Canção, sendo interpretada pela taróloga/apresentadora/entertainer Maya, na sua estreia no mundo da música.
Esta, quando confrontada com o convite, disse:
"É óbvio, meus queridos, que já estava à espera disto".

sábado, novembro 28, 2009

Am.Pm

O dia tinha começado cinzento, com uma amiga a contar ao (grande) autor que, logo de manhã, tinha estado a "compor" um morto.
Literalmente.
O senhor morreu em casa, cancro avançado, sacana malfadado, e era preciso compor o cadáver, antes que o rigor mortis o deixasse duro como uma pedra.
Atar-lhe o queixo, para não ficar de boca aberta, colocar-lhe as mãos ao peito, atar-lhe os pés, para não ficar com um para cada lado, pôr-lhe algodão dentro da boca, para não haver líquidos a sair durante a cerimónia.
Quando chegou ao pé do (grande) autor, tudo era relativo, já que tinha estado a compor um morto.
Nada podia bater isso.

O dia acabou com Sol, com outra amiga do (grande) autor a contar-lhe que está grávida.
Tinha sabido há pouco tempo, não foi planeado mas não podia estar com um sorriso mais rasgado, com toda a vida pela frente e muitas cores para misturar.

A vida é como este dia, pode começar cinzento, acabar com Sol, começar com Sol e acabar cinzento.
Mas o que interessa mesmo é o arco-íris que pintamos pelo meio.

terça-feira, novembro 24, 2009

Issé Virose, Homem.

No Museu de História Natural está agora uma exposição que é a prova de que a raça humana é um vírus, do qual o Planeta Terra se está a tentar livrar.

"A história desenrola-se ao longo de um friso cronológico – linha do tempo geológico – aproximadamente de cem metros, no qual se sucedem os eventos geológicos e biológicos que ilustram os episódios evolutivos mais marcantes da história da Terra. Como cada metro representa 50 milhões de anos, o público é levado a compreender a história do planeta e a evolução da vida na sua verdadeira relação temporal."

E adivinhem em que "altura" surge a espécie humana?
A 8 centímetros do fim.
Ou seja, numa linha de quase 100 metros que representa a linha da vida do Planeta, os humanos aparecem a 8 centímetros do fim.

E em 8 centímetros conseguimos fazer mais merda e causar mais destruição do que todas as outras espécies juntas, em 99 metros.

Com toda a porcaria que andamos aqui a fazer, não admira que os desastres naturais ocorram com cada vez mais frequência.
É a forma que o Planeta tem de se tentar livrar de nós.

Parece estúpido, mas faz sentido.
Os humanos são o vírus que chegou à Terra há pouco tempo.
Os furacões, tsunamis, terramotos, etc, são os antibióticos.
E contra a Natureza não temos hipótese.

segunda-feira, novembro 23, 2009

Igualdade My (Beautiful) Ass

Não deixa de ser estranho que as escutas apreendidas em todos os casos mais mediáticos como o Freeport, Face Oculta, etc não possam ser utilizadas e se ordene que se destruam, mas na Operação Furacão, em que os visados são uns mini-delinquentes de colarinho preto, associados (mas não pertencentes) a claques de futebol, sejam o principal meio de prova, ouvidas até ao último fôlego.

Quem achar que vivemos numa sociedade em que todos pagam o que devem, que se desengane.
Ou então que explique ao pessoal como é que se vive assim, porque deve ser muito mais agradável ser ceguinho do que ver a podridão toda à nossa volta.

Porque raio não é o mesmo para todos os pescoços?
Envoltos em colarinho branco ou preto, todos diferentes, todos iguais.

domingo, novembro 22, 2009

Revisão

É uma sensação muito boa, estar a trabalhar ao computador e a ouvir música feita por um (grande) amigo nosso.

Faz-nos sentir uma cena assim a modos que prontos.

sábado, novembro 21, 2009

Aqui No Serviço

Aqui no serviço vêem-se coisas maravilhosas.
Não está o (grande) autor a falar de decotes nem pernas femininas nem vídeos do youtube com cãezinhos e gatinhos a dormir abraçadinhos.
Antes fosse.
Está a falar de "cagadas" dos adversários de profissão.
É mesmo esse o termo.
Ca-ga-das.

Há uns minutos chegou aqui um fax dum adversário que, fazendo o paralelismo com o desempenho de um jogador profissional de futebol numa final da liga dos campeões, seria:

O jogador entra em campo 25 minutos depois do início do jogo, mas era titular.
Joga a avançado, mas de cada vez que a bola passa por ele, agarra-a com as mãos e corre na direcção da baliza da sua equipa.
Vai de apito na boca, sempre a apitar.
Bate em todos os jogadores, colegas de equipa ou não, sempre que alguém se tenta aproximar dele.
Passa ao lado da própria baliza, dirige-se à bandeirola de canto, retira o pano e espeta a bola no poste da mesma, gritando "ensaio!"

E os (grandes) adversários em apoteose, claro.

sexta-feira, novembro 20, 2009

Toma Lá Cinco.

Bem sabe o (grande) autor que este tema já foi tocado em alguma série ou espectáculo de stand-up, não se recordando de qual.
Mas é um tema sério e do qual vale a pena tornar a falar.
Haverá atitude mais irritante do que um gajo ir dar um passôbem a alguém e receber uma poiazinha com pele à volta?
Um gajo esticar a mão, preparar-se para apertar firmemente a mão alheia e de repente apertar assim uma lesma gigante, meio quente meio fria, com uns ossinhos lá no meio.
Um gajo vai e aperta uma maçã assada meio desfeita.
Um bocado de plasticina que foi ao forno.
Uma espécie de pénis com um tumor com ossinhos, meio mole.
Um bocado gigante de ranho, ligeiramente endurecido.
Uma alheira meio frita, com a pele encarquilhada.
Um alien-o-oitavo-passageiro com unhas.

Epá, senhoras e senhores pelo Mundo fora, apertem as mãos alheias como deve ser.
Ou então, com a desculpa da gripe A, deixem as mãos nos bolsos ou enfiadas no.
Mas não apertem a mão do outro como se tivessem um braço de boneca-insuflável.

Porra.

quinta-feira, novembro 19, 2009

7º Mandamento da Googlização

Daqui a uns 50 anos dirás:

"Eu ainda sou do tempo... em que para ter e-mail do Gmail, era preciso que nos enviassem um convite."

Livre-Trânsito

O único evento que faz desaparecer o trânsito das estradas melhor que um jogo da selecção é um jogo do Benfica.

segunda-feira, novembro 16, 2009

E-Escola

Faxam este teste, a ver comu estam as voxas capaxidades.
Beijinhus!

domingo, novembro 15, 2009

O Meu Trisneto

Haverá algum mal na mentira misericordiosa?
Example.
O (grande) autor ainda tem bisavó.
E esta, recorrentemente, refere que não quer partir sem ter um trisneto.
Ora, apesar de dar uma bela história para abrir o jornal da TVI, nenhum dos bisnetos está em condições de proporcionar essa alegria à matriarca.
Até que o (grande) autor se lembrou de que se podia "pedir emprestado" um bebé, dos muitos que andam a nascer nos outros ramos da família e amigos, para passar por trisneto, durante o resto do tempo que fosse preciso.
A anciã nunca iria descobrir e iria partir muito mais feliz.
Levado a votação familiar, quase todos consideraram impraticável, até insultuosa, a proposta do (grande) autor.
Mas será que é assim?
Sincera e pessoalmente, o (grande) autor gostaria muito mais de morrer feliz, com um trisneto falso, sem nunca o saber, do que com muitos bisnetos verdadeiros a vê-lo morrer.
.

quinta-feira, novembro 12, 2009

'Tá Bem?

Ia o (grande) autor num carro de praça, imposta burguesia pela recente pneumonia, quando decidiu "fazer converseta" com o condutor, naquela de evitar o chamado e indesejado silêncio incómodo, tão brilhantemente concebido pel' O Mestre, no Pulp Fiction.
Ora, o (grande) autor disse apenas uma frase.
"Já viu que isto continua cheio de turistas, hein? Mesmo em Novembro..."
E mais não pôde fazer.

Expressões-chave que conduzem a resposta/monólogo do senhor:

- Muitos turistas?
- Portugal é destino barato
- Espanha ainda é mais
- Mas tem mais desemprego
- Filhos duma p... dos espanhóis
- Querem roubar-nos tudo, até o turismo
- Espertos são eles
- Um dia um espanhol apanhou o meu táxi
- O gajo admitiu que eles ainda são mais ciganos que os portugueses
- Filhos duma p...
- Mas isso de filhos da p... não há como os chineses
- Chineses dum cab...
- Olhos em bico do cara...
- Jurei a mim próprio nunca mais comprar nada nos chineses
- Desde aquele motorzinho para tirar o óleo do carro, que passados 5 minutos se estragou
- Os chineses é que nos vão afundar a todos
- E são financiados pelo governo chinês
- E não pagam impostos
- Cabr... dos chineses

Rematou com a seguinte frase, já no destino do (grande) autor.

- Você vai ver, um dia vamos ser todos chineses, 'tá bem??
- 'Tá bem, chefe. Faça 7 e dê-me uma factura, se fizer o favor.

terça-feira, novembro 10, 2009

Stiven

Foi o (grande) autor fazer um raio-x, para ver a situação pulmonar.
Na sala de espera, entre outros, um casal aguardava também a sua vez.
Veio o médico chamar uma idosa para o seu raio-x à sala, tendo de seguida o casal contribuído para a nossa felicidade, com o diálogo que se transcreve.
Começa ele:

- Olha o médico, vistes?
- O quê?
- Tinha rabo de cavalo, o gajo.
- E então, cada um anda como quer.
- Ataum mas o gajo é médico e anda de rabo de cavalo?
- Olha que tu tamém tens uma figurinha...
- Epá, se ele fosse mais alto e mais encorpado era aquele actor...
- Qual?
- Aquele que anda sempre em guerras e tem sempre 50 gajos a lutar contra ele.
- Não tou a ver...
- Aquele que tem cara de mau e nunca se ri e tem rabo de cavalo, como o médico.
- ...
- Aquele... o Stiven Spilbérg.

segunda-feira, novembro 09, 2009

Uma Coisa Leva À Outra

"Uma coisa leva à outra" é uma boa expressão para se conseguir explicar o inexplicável e depois rematar com um pontapé-de-bicicleta que desvie as atenções da acção principal.
Veja-se.

Oh querida, eu estava com a babysitter na cozinha, estávamos a medir a febre à bebé e uma coisa leva à outra e fizemos amor no balcão enquanto o termómetro determinava a temperatura da nossa filha. Tinha 38ºC, liguei logo para o doutor.

Shô guarda, eu ia muito bem a conduzir, não tinha bebido nada, mas ia a ouvir o relato do sporte e uma coisa leva à outra e prontes, 'tou todo alcoolizado e embarrei com o veículo nesta paragem. Mas ao menos ninguém estava à espera do autocarro.

Oh minha senhora, eu estava aqui a introduzir os seus dados no computador do banco para depositar o seu cheque e uma coisa leva à outra e transferi o seu dinheiro todo para a conta dum senhor na Turquia. Mas olhe que acho que o senhor era pobrezinho, por isso até merece, coitado.

Oh chefe, eu ia a passar aqui no corredor e entrei para tirar umas fotocópias de uns impressos e uma coisa leva à outra e a fotocopiadora partiu-se com o meu peso e saíram 239 fotocópias do meu rabo. Felizmente fui à depilação há 2 dias e estou com um rabo de menina de 17 anos.

Meu, 'tava aqui a fazer o back-up do teu computador, como tu pediste, e ao mesmo tempo 'tava a ver uns sites de cenas na internétchi e uma coisa leva à outra e apaguei tudo o que tinhas no disco sem ter gravado nada. Tinhas aqui cenas importantes?

Ps - esta última é verdade e determinou o terminar, terminantemente, de uma amizade de anos, deitando por terra toda a teoria elaborada ao longo destas longas linhas.

quarta-feira, novembro 04, 2009

Que Se Aclare O Cimento

A todos os que pensam que ter gripe A é uma boa desculpa para se ficar em casa sem trabalhar, o (grande) autor passa a informar que, por causa daquela coisa que é a internétchi, do serviço conseguem enviar-lhe trabalho para casa.
Agora, que um gajo pode trabalhar de pijama?
Isso pode.

terça-feira, novembro 03, 2009

Give It To Me, Jimmy.

Aqui vai a receita, qual chef Silva, de como curar uma gripe A que derivou em pneumonia:

Tamiflu (????) - 2 vezes ao dia
Klacid (antibiótico) - 2 vezes ao dia
Zoref (antibiótico) - 3 vezes ao dia
Propavent (xarope) - 4 vezes ao dia
Dilamax (inalador) - 2 vezes ao dia
Vitamina C - 1 vez ao dia
Benuron - Quando necessário
Termómetro - Medir a febre ao acordar e ao deitar
Água ou chá - Litros e litros, sem medo
Não sair de casa - 2 semanas ou mais, depende do evoluir da situação
Livros - para não se enforcar com os atacadores
TV Cabo - para não cortar os pulsos
Internet - para não se atirar da janela
Comidinha - nada de fritos nem gorduras

segunda-feira, novembro 02, 2009

Corner

domingo, novembro 01, 2009

Baby Talk

Um adulto, quando confrontado com um bebé a uma distância de 60 centímetros ou menos, não hesita e começa a falar com o rebento como se tivesse cinco croquetes ou dois pares de meias de lã enfiados na boca, emitindo, entre outros, os seguintes sons:

ooohhfofuffuuuaaaa
tããuuiinnnddooo
cosamasfoufa
quemécousamasfouffaffaa
cutucutucutucuuucuuuu

Quando fora da bolha invisível que envolve o bebé, geralmente, o adulto volta ao seu estado normal, não apresentando mais sinais de AVC.

sábado, outubro 31, 2009

O Mascarilha

Todo o leitor sabe que este tasco é moderno, actual, atraente, sempre na vanguarda e pronto a inovar, para melhorar.
Como tal, o (grande) autor não podia deixar passar a oportunidade de estar na moda e se fazer notar entre a nova elite da sociedade.
Como tal, após uma semana na chamada grande merda, após uma série de análises que envolveram mais agulhas que as que passam a cada duas horas pelo corpo da Amy Winehouse, chegaram os resultados mais esperados.
É gripe A.


I'm just glad to give my money to Rumsfeld.
.

quinta-feira, outubro 29, 2009

Quatro Paredes

A grande diferença entre a gripe e a prisão domiciliária reside na pulseira.
E a ironia na frase anterior reside no verbo.

domingo, outubro 25, 2009

Excerto

Queria um jovem os números de telefone d' o (grande) autor e de uma amiga sua, para se poderem combinar umas situações situacionárias.
Aqui se reproduz o diálogo.


ele - pá, dêem-me lá os vossos números e tal...

andreia - Ok, o meu é 96...

(grande) autor - 96...

ele - então e guardo como? (tipo, que nomes ponho)

andreia - o meu guarda como andreia neves.

(grande) autor - olha, o meu guarda em PDF.

...

sexta-feira, outubro 23, 2009

Smells Like Teen Kids

Uma das grandes vantagens de não ter filhos é a de poder dormir com o telemóvel desligado.
Uma das desvantagens é a de não ter assunto de conversa quando à mesa com 3 recém-progenitores.

segunda-feira, outubro 19, 2009

Picas

A quantidade de dor que se sente ao levar uma injecção é inversamente proporcional à idade do injectado, desde que a injectadora tenha um decote favorável, sendo que a favorabilidade do decote é inversamente proporcional à idade da injectadora.

quarta-feira, outubro 14, 2009

CPLP


Aqui está o símbolo da selecção formerly known as Portuguesa.
.

domingo, outubro 11, 2009

Palavra de Puto

"a diferença é que quando és puto nunca pensas no money,
mas quando cresces é unânime,
tens de fazer algo que t' ânime.
"


juventude (é mentalidade), por Sam The Kid

Vota Bem

Fica.

sábado, outubro 10, 2009

Zé Povinho - A Viver A Vida Dos Outros Desde Mil Oitocentos e Trocopasso

"Sábado, dia 10 de Outubro. Dia de ter esperança, de acreditar e ter ambição, de ter paciência, de atacar e defender, de ter espírito de grupo. Dia de mobilização colectiva de um país que quer estar no Mundial. Quer se queira quer não, o jogo de Portugal começa às 19h, no Norte da Europa, na Dinamarca, e só termina às 22h30m em Lisboa, no Estádio da Luz."
in zerozero.pt

Como dizia o Jorge Perestrelo, antes de se calar para sempre, apagado por um ataque cardíaco na sequência dum jogo emotivo do seu (dele) Sporting, "é disto que o meu povo gosta".

terça-feira, outubro 06, 2009

Maria, Já Te Disse Para Não Ires Com As Outras

Leu o (grande) autor por aí que

Os desistentes nunca vencem.
Os vencedores nunca desistem.

É uma boa expressão.
Só falta a procrastinação permitir que ela entre na boca do povo.

segunda-feira, outubro 05, 2009

Afinal Ainda Há Génios


http://www.demotivateus.com/

domingo, outubro 04, 2009

As Mulheres Histéricas

Segundo uma amiga psicóloga, analisando o comportamento, "ela é daquelas que diz para os rapazes saltarem para a piscina e depois a piscina não tem água."

Frase do ano 2009.

sábado, outubro 03, 2009

Não Jantar Emagrece. Mas Também Mata.

Temos de ajudar humanos a sério a defender os animais da vergonha (des)humana.
O (grande) autor já ligou.
Descontam 0,72€ do saldo.
Menos que uma coca-cola.
Menos que jogar no euromilhões.
Menos que um café, em muito locais.
Menos que o parquímetro.
Menos que ligar para uma linha erótica.

Imaginem lá, não terem jantar à vossa espera logo à noite.

sexta-feira, outubro 02, 2009

Diário de Uma Despedida de Solteiro

17h - A rapaziada começou a chegar ao "monte dos vendavais - despedidas de solteiro", em Massamá, onde vai ter lugar o torneio de paintball. Que espectáculo, paintball, faz lembrar balões de água mas mais pequenos e com tinta e que se acertam num olho cegam um gajo. Tou com uma vontade de mandar uns tiros no Antunes... não posso com o tipo.

17h10 - Finalmente chegou o meu padrinho. O meu melhor amigo, o Bilas. O Bilas é que organizou esta merda toda. O gajo é altamente. Aposto que vai meter meninas ao barulho, eheh. A minha Martinha não gosta do Bilas, desde aquela vez que ele apareceu lá em casa de tronco nu às 4h da manhã e com duas das mais caras debaixo do braço. Porra, ele não precisava de dizer à Martinha que uma delas era para mim. Mas o gajo já tava todo grosso, eheh, um espectáculo.

17h30 - Começou o torneio. Que lindo. Olha o Antunes ali... vou filar o gajo mesmo nos tomates.

17h32 - Acabou o torneio. Aparentemente o Antunes tem uns tomates de vidro. Quando chegar o INEM seguimos para a próxima etapa do último dia da minha vida como homem livre. O tiro ao alvo com armas de paintball. Estes gajos organizam cenas altamente. Mesmo à homem.

18h - Acabou-se esta merda do tiro ao alvo, isto é para maricas. Vamos todos mas é mamar umas ali ao bar da escola de Paintball, ver se há lá uns canhões para a gente mandar uns tirinhos a sério, eheheh.

19h40 - Já tamos todos aviadinhos, espero que não haja operações stop agora ao fim da tarde. Vamos embora para a Portugália de Arroios. O granda Bilas mandou fechar aquilo só para nós. Assim é que é, um bifinho com molho antes de irmos provar a carne do dia, eheheh.

22h50 - Meu deus, já não consigo comer nem mais um tremoço. Esta cerveja da Portugália é mesmo boa. E as empregadas, sim senhores, é com cada bifinho de alcatra, eheheheh. Vamos para a Passerelle daqui a bocado, aí é que vai começar a noite a sério, porra. A Martinha que se cuide. A ver se peço ao Bilas para me orientar umas camisinhas...Senão olha, espero que aquilo seja limpinho.

terça-feira, setembro 29, 2009

A Possibilidade da Repetição

Chegou o (grande) autor à conclusão de que, arriscando-se a inventar a pólvora, se deve viver algumas ocasiões como se da última vez se tratasse.
Roça o Carpe Diem, mas mais concretamente, concretando o concreto.
Se uma pessoa for à praia do Castelo e pensar, "hoje é a última vez que venho à Praia do Castelo", a coisa muda de figura.
Ou "hoje é a última vez que como bitoque".
Ou "hoje é a última vez que vou passear com a minha namorada".
Ou "hoje é a última vez que vou ver o Benfica ao estádio".
Porque o que (na maioria das vezes) retira o valor às coisas é a pessoa achar que poderá repetir o que está a fazer.
Em muitos casos, a possibilidade da repetição leva até a que a pessoa deixe de fazer qualquer coisa porque "posso fazer noutra altura".
Assim, se nos colocarmos na perspectiva de que é a última vez que temos a oportunidade de fazer isto ou aquilo, vamos desfrutar muito mais.
Sem exageros, não se vai agora beber coca-cola como se fosse a última vez, até porque com a emoção podem subir os piquinhos ao nariz e depois é desagradável.
Mas ir ao campo e desfrutar da paisagem e da companhia como se fosse a última vez.
Pensar que nunca mais poderemos pisar a erva descalços leva-nos a querer caminhar sobre a erva e, de facto, senti-la entre os dedos dos pés.
Enfim, como dizia alguém que já não está cá para o verbalizar, "é uma teoria, como qualquer outra".

segunda-feira, setembro 28, 2009

Separados À Nascença II

.......................Nuno Eiró, SIC .........Mark McKay, CNN

domingo, setembro 27, 2009

Dormir Na Cama Dos Outros

Apresenta-se incrível,
Bastante deprimente e deplorável que mais uma vez tenha
Sido evidente como é pesado o cu dos portugueses para
Terem uma atitude que demonstre verdadeiramente
Essa pseudo-vontade de mudar as coisas.
Não é sentadinho na cadeira de verga que se
Çonsegue que a situação mude.
Ãdmiram-se e queixam-se depois, como é bem de ser português.
Obvio é que, para ver a selecção dos Palops jogar, haverá gente a sair mais cedo do trabalho.

quarta-feira, setembro 23, 2009

Knock Knock



© (grande) autor

sábado, setembro 19, 2009

-2

Há a informar que (tentar) lavar e limpar o chão de uma garagem onde estacionam carros todos os dias é a concretização da famosa expressão "once you go black, you never turn back".

terça-feira, setembro 15, 2009

Love Thy Neighbour

Numa festa no sábado passado, o (grande) autor, pelas 2h30 da manhã, conversava com o anfitrião, que lhe dizia:

"Epá, estou espantado com a boa onda dos meus vizinhos... Nem vêm cá reclamar com a música nem nada..."

Claro que, passados uns 20 minutos, sem qualquer tipo de aviso, apareceu a polícia.
.

domingo, setembro 13, 2009

Versatilidade

sexta-feira, setembro 11, 2009

Boa Tarde e... Boa Sorte!

Ontem teve o (grande) autor de recorrer a um desses números verdes de apoio ao cidadão, disponibilizados pelo Estado.
O mesmo Estado a quem pagamos os impostos, sim.
O número verde era, nomeadamente, o do portal das finanças.
Sim, o 707 206 707.
Bom, desde o início da conversa com a D. Arménia (às tantas a berraria entre funcionárias era tanta que uma deixou escapar o nome da outra) que a coisa não ia bem.
Porque, já se sabe, o funcionário público, quando confrontado com um problema relacionado com informática, não hesita e define o mesmo como sendo um "bug do sistema".
E daí não sai.

- Ah, isso é um bug do sistema...
- Mas oh minha senhora, hoje é o último dia para entregar ...blablablabla... não há forma de chamar aí um técnico que resolva isso?
- Ah, pois... isso é um bug do sistema.
- Sim, mas e técnicos, não há?
- Pois pois, mas isso é de certeza um bug do sistema...
- Ok, já se percebeu, mas chame lá aí o técnico que isto já aconteceu a outras pessoas de certeza...
- Mas isto já são quase horas de fecho, o técnico já não cá está...
- Então mas no site o vosso horário é até às 19h30m...
- Pois, isso é um bug do sistema...
- E são 18h50m!!!
- ....

Um bug, dizia ela.
Nitidamente um daqueles casos em que a D. Arménia tinha aprendido uma palavra nova e estava a adorar repeti-la, mesmo que já não fizesse sentido.
Bom, a coisa lá se resolveu, não por causa da ajuda da D. Arménia nem suas compinchas, mas através do sangue suor e muitas lágrimas do (grande) autor.
No final da odisseia, a D. Arménia ainda suspirou um "Então boa tarde... e boa sorte!"
E pronts.
Um gajo sabe que está entregue aos bichos quando até o funcionário que o "Estado" coloca à disposição do cidadão para o ajudar lhe deseja boa sorte.
"Boa sorte" é o mesmo que um "epá tás mesmo f..., mas eu não posso, nem sei e, principalmente, não quero fazer nada para te ajudar."

Obrigado, serviço público.
E obrigado, D. Arménia.

quinta-feira, setembro 10, 2009

Separados À Nascença


Lewis Black.
Martim Cabral.

Verdade Universal do Momento

Sempre que um gajo espirrar, haverá outro gajo que, desde que esteja num raio de 25 metros, vai dizer a piadola:

- Ai a Gripe A... eheh.
.

quarta-feira, setembro 09, 2009

Lençol de Guardanapo

Teve o (grande) autor a sorte de ir ver hoje a estreia de "A Febre", no Teatro Aberto.
Monólogo maravilhoso, interpretado por João Reis, que desde os tempos longínquos de lá do Norte se vem revelando o melhor actor português da sua geração.
Palavra de honra.
O texto também é muito bom, revela as diferenças em que a sociedade (des)humana se baseia.
Sim, porque na vida, tal como na peça, o pior cego é o que não quer ver.



Ah, já agora, não custa nada ajudar quem merece:
As sessões decorrem no Teatro Aberto às 21:30, de quarta-feira a sábado, e às 16:00, aos domingos.

segunda-feira, setembro 07, 2009

Avante! (mas com extra queijo)

Alguém consegue explicar como é que é possível que na festa do Avante! houvesse uma barraquinha da Telepizza?
Será porque a marca usa também a cor vermelha?
.

quarta-feira, setembro 02, 2009

19h37m

Olh' schcup!
Erum fin' e uma sande mist' sem mnteiga, fachavor, qu'eu não vim comido.

domingo, agosto 30, 2009

Hoje Em Educação Física É Futebol. Yeeeeaaahhh!!

O stôr Carlos Queiroz provou ser o maior benfiquista que existe.
Em primeiro lugar, convocou apenas um jogador do Benfica para integrar a selecção dos Palops.
O que é óptimo, porque assim não há risco de que Joaquins, Fábios ou Rubens se lesionem.
Em segundo posto, convocou apenas e só o único jogador do Benfica que todos os benfiquistas esperam e rezam que se lesione (sem gravidade, que o homem não matou ninguém) e fique impedido de botar o pé-de-cinderela nos relvados.
É bem, stôr!
Cê teim nota deiz.

sábado, agosto 22, 2009

Este Tasco Precisa De Mais Imagens


Porque valem mais que mil opiniões.
Palavras para quê?
Jacqueline Bisset.

quinta-feira, agosto 13, 2009

A.B.S.

É muito fácil dizer mal de alguma coisa, mas é muito difícil dizer bem.
Porque quando é mau, toda a gente critica, mas quando é bom, ninguém diz que é bom, limita-se a achar bom e prontos, derivados.
E é por isso que quase nunca há comentários neste blog.

quarta-feira, agosto 12, 2009

U.K.

- Ora bem, então temos: bife do lombo, bife à casa, bife à café, bife da vazia, bife de mostarda, bife grelhado, bife de alcatra, bife de atum e bife à portuguesa.

- E bifedus activos, não tem?

My Name Is Tubro. Ou Tubro.

.
.
My Political Views
I am a left moderate social authoritarian
Left: 5.24, Authoritarian: 1.67


My Foreign Policy Views
Score: -1.79



My Culture War Stance
Score: -1.61



Political Spectrum Quiz

terça-feira, agosto 04, 2009

Extra! Extra!

Deu-se uma revolução no sistema judicial português.
Pela primeira vez, um cidadão é condenado sem que qualquer prova tenha sido feita contra ele.
Espectacular!

Seu nome: Isaltino, o mártir.

Aguardamos desenvolvimentos e esperamos que se esteja a assistir ao ponto de viragem na sociedade.




Da mesma colecção:

- as novas omeletes sem ovos porque as galinhas não põem ovos

- o futebol jogado sem bola capta mais espectadores

- o ser humano vive sem coração e mesmo assim corre 100 metros em 10 segundos

- a água do mar é doce e dá para fazer limonada
.
.

sexta-feira, julho 31, 2009

S.L.B.

O Benfica foi campeão pela última vez na mesma altura em que Santana Lopes andava a brincar às minas de Salomão em Lisboa.

Agora, se por causa de o Benfica ir ganhar outra vez o campeonato, Santana Lopes voltar a enterrar Lisboa, que se prepare a cidade para o S.L.B. (Santana Lopes' Back)

quarta-feira, julho 29, 2009

Sondeihm

Sondagens da Universidade Católica para a RTP e Antena 1 indicaram ao opiniões sobre isso que as pessoas que em criança brincaram nas poças da maré vazia nas praias da Costa da Caparica, são os maiores adeptos da chuva dourada na vida adulta.

sexta-feira, julho 24, 2009

Hoje no Público

"Há muito mais gente a abandonar Portugal"

Bom, Portugal também já abandonou muita gente.

quarta-feira, julho 22, 2009

E o Amante Dela

A haver um filme sobre a vida do (grande) autor, terá de ter obrigatoriamente banda sonora do Michael.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Nyman.

terça-feira, julho 21, 2009

R.E.M.

Pergunta de Trivial, edição Aero-Espacial:

Que diziam em coro os irmãos de Buzz Aldrin quando este entrava no quarto da mais velha e a apanhava com o mai novo naquela relação incestuosa que tanto os caracterizava e ele não entendia porque é que era com o caçula e não com ele?

- Buzz, Aldrin!!

sexta-feira, julho 17, 2009

Festalizar

Há uma nova moda nos assaltos a residências particulares.
Os ladrões, de há uns tempos para cá e sobretudo na época de Verão, assaltam as casas, mas com um intuito distinto do de levar o que não é seu.
Chama-se a esta nova moda "festalizar".
Os assaltantes, geralmente organizados em grupos de 4 ou 5 jovens, vigiam uma casa (de preferência vivendas) e tentam obter o máximo de informações sobre quando é que os donos vão para férias.
Quando os donos abalam para o Allgarve ou para Curitibiquitidibilicalionópolis, os assaltantes sabem que os donos estarão fora, pelo menos uns 5 ou 6 dias.
É aí que assaltam a casa.
No segundo dia em que a casa está sozinha (no primeiro é muito arriscado, os donos podem voltar porque se esqueceram de desligar a luz da casa-de-banho) os assaltantes entram na casa e organizam tudo.
Para quê?
Para festalizar.
Durante o dia seguinte ao do assalto preparam a casa para uma mega-festa, avisam os amigos, conhecidos, inimigos e desconhecidos, espalham panfletos, enviam e-mails, divulgam a festa ao máximo.
E ao terceiro dia...
Festaliza-se.
No final da festa (que em alguns casos chega a durar dois ou três dias, se os assaltantes souberem que os donos da casa foram de férias para, por exemplo, a Austrália), os assaltantes e convidados abandonam a casa, deixando tudo desarrumado.
Não levam nada que não seja seu, deixam as jóias e as pratas, mas abusam dos sistemas de som do dono da casa, põem música muito alto, assaltam os frigoríficos e adegas e deixam um monte de lixo espalhado pela casa.
Geralmente as casas-de-banho e os quartos ficam em mau estado, devido à sua indevida utilização como unidade hospitalar para comas alcoólicos ou motel improvisado, sendo o chão da sala e cozinha sempre as partes mais sujas.
E uma coisa é certa, os assaltantes deixam sempre a sua imagem de marca:
um preservativo cheio de ar, como um balão, pendurado no candeeiro do tecto da sala.
Já sabe, se for de férias, seja para fora cá dentro ou não, cuidado com a festalização que por aí anda.

quinta-feira, julho 16, 2009

Ferrari Amarelo

Há duas certezas na Vida.
A primeira é a morte.
A segunda é a de que se na estrada ultrapassares um Fiat Punto amarelo rebaixado, há uma grande probabilidade de teres divertimento para o resto da viagem.

Ps - Se esta última se verificar entre a meia-noite e as seis da madrugada, deve substituir-se "grande probabilidade" por "certeza absoluta".

quarta-feira, julho 15, 2009

XX

Se a casa de um homem é o seu castelo, o José Castelo Branco vive fora das muralhas.

terça-feira, julho 14, 2009

6º Mandamento da Googlização

Estarás sempre próximo, acima ou abaixo, dos teus inimigos e daqueles que menos gostas.
Quanto mais não seja, na listinha do google chat que existe do lado esquerdo, no gmail.

sexta-feira, julho 10, 2009

Elevador A Quentin Obrigas

Nunca devemos dizer a um velhote reformado, em conversa de elevador, que lhe desejamos um bom fim-de-semana.
Porque os velhotes reformados vivem num fim-de-semana vitalício.

Qual É

O santo padroeiro dos freaks?

É o Bartolo, meu.

quinta-feira, julho 09, 2009

Perpétua

A pena mais pesada à qual se pode condenar alguém devia passar de 25 anos de prisão para "ouvir a voz do Eduardo Sá a discursar sobre crianças de colo durante 3 anos seguidos, sem interrupções, através de uns phones impossíveis de remover".

Isso é que era provocar arrependimento no criminoso.

quarta-feira, julho 08, 2009

O homem Não Merece Letra Maiúscula

A Natureza cria o homem.
O homem cria a sociedade.
A sociedade cria a moeda.
A moeda cria as divergências.
As divergências criam as desigualdades.
As desigualdades criam a violência.
A violência cria a falta de princípios.
A falta de princípios cria a destruição massiva.
A destruição massiva cria o princípio do fim.
O princípio do fim cria o abismo entre o homem e a Natureza.
O homem tenta empurrar a Natureza para o abismo.
A Natureza empurra o homem para o abismo.

sexta-feira, julho 03, 2009

ode (a guarda)

lá dentro, no Parlamento
gritam cada um do seu palco
enquanto o desespero, o sofrimento
da galeria, os olha cá do alto

na cabeça têm o poder
o dinheiro e a impunidade
no corpo a vontade de comer
a cara podre e a alarvidade

dia a dia da semana
semana a semana do mês
a culpa morre sozinha na cama
e mais uns se juntam à lista dos porquês

porque é que não há trabalho
porque é que não há dinheiro
porque é que ninguém baralha o baralho
e sai sempre tudo ao mesmo empreiteiro?

aqui se vive do futebol
do fado e glórias passadas
eles lançam mais um e outro anzol
e a malta agarra-os às dentadas

nunca mudarão, esses senhores
que de quatro em quatro se viram
uns dias de frio outros de calores
mas os bolsos vazios nunca sentiram

porque somos e vivemos numas torres gigantes
construídas pelos cá de baixo
para que lá em cima vivam os importantes
e no rés-do-chão se viva cabisbaixo

eles gritam nomes e gesticulam
e o povo sempre calado, como deve ser
eles de si próprios e da sua sombra se orgulham
e a malta cega, sem nada perceber

vamos lá malta, pôr ordem nesta casa
aproveitemos os Erasmus e os INOV
vamos mostrar que os podres aqui não batem asa
e revivamos mil setecentos e oitenta e nove

quinta-feira, julho 02, 2009

O Tal Canal

"Foram projectados três filmes na apresentação da candidatura da coligação “Lisboa com sentido”, liderada por Santana Lopes, à câmara de Lisboa. Mas só no último vídeo é que foi revelada a “ideia”: a construção de um novo túnel, desta vez uma artéria que fará a ligação da Avenida Fontes Pereira de Melo aos túneis do Campo Pequeno e do Campo Grande."
in Público online

Se isto não é gozar com as pessoas, é o quê?
É um desporto radical onde se ultrapassam novos limites?

quarta-feira, julho 01, 2009

?

Com tanto que se fala agora sobre a morte do rei da po...lástica, porque é que ainda não foi desvendada a razão pela qual o senhor queria tanto deixar de ser preto para passar a ser branco?
Sinceramente, é uma curiosidade que deveria ser satisfeita.
Tal como a de se saber de que cor são geralmente as cuecas (sim, porque jogador profissional de futebol que se preze não usa boxers) do Cris.

sábado, junho 27, 2009

Pick Me

O Presidente da República acabou de decretar a orgia eleitoral.
Muito bom.
Do que Portugal precisa mesmo é de mais campanhas eleitorais, mais comícios, mais telejornais cheios de berros, mais confusão no José.
Povo.
E com dois domingos-de-voto/não-vou-à-praia-para-ir-votar?-deus-me-livre! separados por 3 semanas, muito mais abstenção, claro.
Para a frente é que é caminho.
Para trás mija a burra.
E assim pode ser que se faça um túnel no rossio, ou uma ponte que ligue a costa do castelo e o bairro alto.

sexta-feira, junho 26, 2009

Jackson 4. 4 Jackson

Era tão fácil vir aqui escrever uma piadola sobre a morte do Michael Jackson.
Mas o (grande) autor não é desses.
Neste tasco é tudo preto no branco, não há cá entrelinhas.

terça-feira, junho 23, 2009

5º Mandamento da Googlização

Em vez de te encontrares com os teus amigos nos parques, jardins, praias e afins, passarás a encontrar-te com eles no Google Talk.
E falarás com desconhecidos que te aparecem na lista de contactos porque um dia alguém te enviou um e-mail que não estava em Bcc.
E farás novos amigos.
E perderás os amigos antigos.
Mas só aqueles que não têm internétxi.

segunda-feira, junho 22, 2009

Fado

Hoje, ao beber o café, com este vinham aqueles pacotes de açúcar com frases começadas por "um dia", que os consumidores enviam para o Sr. Nicola.

"Um dia faço-te uma serenata."
"Um dia dou a volta ao Mundo."
"Um dia deixo de fumar."

Etc... essas merdas, estão a ver o género.
Pois, qual foi o pacote que calhou ao (grande) autor?
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Claro.

"Um dia perco a barriga."

domingo, junho 21, 2009

Fundo-do-Ão

Um gajo sabe que os telejornais bateram no fundo quando uma das notícias de abertura, com direito a directo a partir do Alllllllllllgarve, é sobre o facto de Cristiano Ronaldo ter chegado a Portugal para umas férias, depois de quase apanhar uma doença venérea nos E.U.A..

E um gajo sabe que o país bateu no fundo quando num sábado em que fazem mais de 35ºC tem lugar um mega-evento organizado por uma cadeia de hipermercados que tem como "objectivo" o de bater o recorde mundial de pessoas num piquenique.

sexta-feira, junho 19, 2009

Vs

"A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Lisboa proibiu a participação de uma criança de 11 anos numa “bezerrada” marcada para esta noite na Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa.

A principal figura do cartaz era o “toureiro-criança” franco-mexicano Michelito Lagravére, de apenas 11 anos de idade, que já terá morto vários animais em actuações por todo o mundo. A sua entrada em cena estava marcada para as 23h45."

in Público Online


Toureiro-criança?
É de pequenino que se torce... pelo assassino?
Ao menos aqui, foi proibida a sua participação.
Olé! (em dó menor).

quarta-feira, junho 17, 2009

Troca de Essemesses Entre Doix Jovenx

- Que viajem fizes-te?
- Não cei, axo que foi ao irace. Ou a jibraltar.
- Ha, naum foi tão lonje, foi çó fransa
- Ha entaum está beim. Naum gastastes muinta gazulina. Se foces de aviaum éra maix fudidu.
- Acim sempre pacei pur ejpanha
- Passastes pru barsselona? A quatalunha é meijmo bunita.
- Sara goza
- Vou ter de parare coum iste. Vai cumessar a comferemcia a que viim acistire.
- Es mejmo importante
- Max comum istamos em prutugal, quelaru que xta atrazado...

domingo, junho 07, 2009

Fériados

Hoje estava o (grande) autor a falar com a Nônô,
A dizer que na próxima semana Portugal já parou
Por causa da vontade dos feriados e das pontes
São férias adicionais para gente aos montes
E ela diz que vai tudo parar, a cena é mesmo essa
Mas que Portugal também já não ia muito depressa

sábado, junho 06, 2009

Aviso À Navegação



Qual Professor Karamba, o (grande) autor deixa aqui uma predição.
Ainda vão ouvir falar muito deste homem.

sexta-feira, junho 05, 2009

Aparências Que Não Iludem

O povo diz que as aparências iludem, que nem tudo o que reluz é ouro e que cão que ladra não morde.
Mas há certas coisas que são como são, como aparentam ser e que não têm uma segunda camada.
Uma dessas coisas é o "ar de quem não sabe jogar à bola".
É a mais pura verdade.
Um gajo pode ter um ar de bom jogador, um ar de que não se sabe como é que joga, mas quando se tem ar de quem não sabe jogar futebol, é porque não se sabe mesmo.
É algo intuitivo, no olhar alheio.
Um gajo olha para a pessoa e vê logo que não sabe jogar, não há nada a fazer.
E ontem essa teoria ficou, mais uma vez, provada.
Este texto não faz sentido algum, para 99,99% das pessoas que o lerem.
Mas os restantes estão a acenar com a cabeça um "fod%-se este gajo tem toda a razão".

domingo, maio 31, 2009

Apenas Uma Morte Separa Um Almoço Dum Funeral

As refeições são frágeis, tão frágeis como a vida.
Este domingo havia um almoço daqueles de várias horas e calorias.
Mas de sexta para sábado houve um convidado que decidiu não comparecer, avisando com a antecipação de uma infecção hospitalar.
O homem já estava para partir há uns tempos, porque a diabetes consome o corpo e a alma, quando a alma deixa de lutar pelo corpo.
Então, na noite de sexta para sábado, o almoço de domingo transformou-se num funeral.
Para se perceber que a vida não tem refeições marcadas.
Porque a morte pode querer sentar-se à mesa.

sábado, maio 30, 2009

Euromilliones

Se um gajo apostar pelo menos 2 € todas as semanas no Euromilhões.
Se um gajo viver mais 50 anos, fazendo as contas assim por baixo.
Se um ano continuar a ter 52 semanas.
E se o Euromilhões continuar a ser semanal.
Um gajo vai gastar até ao final da vida, pelo menos, 5200€ em apostas.
É bom que pelo meio um gajo ganhe pelo menos um 3º prémio.

Ps - Isto agora é só Ps's. Uma chamada de atenção para a música "that's not my name" dos The Ting Tings. Granda som, como diria um jovem de 17 anos.

sexta-feira, maio 29, 2009

4º Mandamento da Googlização

Haverá uma altura em que ficarás tempo suficiente no mesmo sítio público para que apareças no Google Earth.

quinta-feira, maio 28, 2009

Love Me Love Me Not

Leu uma vez o (grande) autor na capa de um caderno de notas daqueles que estão nas prateleiras das livrarias como a Barata, que geralmente não têm gracinha nenhuma, mas olhe senhor doutor que este até era bem bonito, que "uma coisa que poupa muito tempo é um amor à primeira vista."
Para contrapor, leu já muitas vezes o (grande) autor nos olhares de várias pessoas, à primeira vista, que "uma coisa que nos faz perder muito tempo é uma deslocação a qualquer tipo de serviço público."

Ps - Sem ter nada a ver, que excelente nome para uma banda de covers daquelas que actuam nos arraiais das faculdades: love me love me not

segunda-feira, maio 25, 2009

The Aftes

.Uma afta é a coisa mais pequena, que maior transtorno causa.
.

domingo, maio 24, 2009

Clap Clap

Vindo o (grande) autor do homónimo concerto da Kimya Dawnson, Carl Blau e Angelo Spencer, uma questão se levanta.
O público, por variadas vezes, era encorajado a acompanhar o artista com umas batidas vocais e uns agudos porreiros.
Porém, noutros momentos, sem solicitação vinda do palco, o público insistia em acompanhar a música com palmas, ao ritmo da canção.
O que levou a alguns "sshhh" por parte de alguns espectadores.
E é essa a questão.
Deverá o público interferir com o desempenho do artista, batendo palmas, participando no espectáculo?
Porque, sem dúvida, tal atitude deixa o artista confortável, sente que a assistência está a gostar, a apoiar e a participar.
No entanto, as palmas prejudicam por vezes, de facto, a musicalidade e o momento musical.
Morte às palmas intramusicais?
Enfim, uma questão sem resposta, como tantas outras.

Kimya Dawson

quinta-feira, maio 21, 2009

É Já Este Domingo



Curiosamente, o (grande) conselheiro aconselhou o filme há um ano e tal, na sala de consultas.

segunda-feira, maio 18, 2009

Nota Mental (como no Parker Lewis) I

Não comer 1 kg de pimentos verdes e vermelhos ao almoço, quando se tem de ir trabalhar à tarde.
Correcção.
Não comer 1 kg de pimentos seja de que cor forem e ponto final.

quarta-feira, maio 13, 2009

Gostou do Filme "Juno" ?

Com certeza que sim.
E gostou da banda sonora?
Mais certeza que sim.

Pois queira saber que a responsável pela maioria das músicas integrantes dessa banda sonora, a shôdona Kimya Dawnson (kiki, para os amigos) irá actuar em Portugal, mais concretamente em Lisboa, mais concretamente em Carnide, mais concretamente no Teatro da Luz, no próximo dia 24 de Maio.

Tentou-se que a jovem actuasse no Estádio da Luz, mas dsqu' há jogo, nesse dia.
Já agora, o Benfica-Belenenses é às 16h e o concerto da Kiki é às 21h.
Ou seja, dá perfeitamente para ir depois da jogatana comer uma bucha às roullotes e ver umas lojas no Colombo, antes do 2º espectáculo.

Mais informações no blog da produtora:

  • O Nariz Entupido
  • sexta-feira, maio 08, 2009

    Analytics

    Segundo o Google Analytics (ver 3º mandamento da googlização abaixo) este tasco sofreu uma descida de 10,19% em termos de visitas, no último mês.
    Agora, das duas uma.

    1 - Um gajo começa aqui a relatar a sua vida sexual e a colocar fotografias com nudez explícita,

    ou

    2- Um gajo resigna-se e diz, como agora se diz sempre a propósito de tudo e de nada, relativamente a qualquer assunto que tenha sofrido uma descida/quebra/falta de levantamento:
    "hmm... pois é... é a crise".

    3º Mandamento da Googlização

    No dia em que o Google morrer, morrerás também, por falta de acesso ao e-mail e ao blog e ao youtube e ao motor de pesquisa em si.
    Não viverás sem o Senhor Google.
    Ou viverás, mas na penumbra.

    quarta-feira, maio 06, 2009

    A Verdadeira Dupla Personalidade


    Fotografia tirada pelo (grande) autor em Vila Viçosa.

    quinta-feira, abril 30, 2009

    Mal Por Mal

    - Andreia! - gritou o homem. Sabia que estava mal, sabia que precisava de ajuda. Sabia que deitar sangue assim quando tossia não era bom sinal.
    - Chama-me o Domingos. Liga-lhe do meu telemóvel, tenho lá o número, procura na letra "D".
    Claro, procurar na letra "D" por alguém chamado Domingos era evidente. Mas para ele não era, porque era ele que estava mal e era ele que precisava do Domingos.
    - Mas oh Fred, ligo para o Domingos para quê? Tu precisas é que eu ligue para o INEM.
    - Liga-me para o Domingos, se me fizeres o favor, ok??
    O Domingos era um antigo colega de escola, daquele tipo de escola que agora é uma fábrica, daquele tipo de amigos que aparece aos 10 e 11 anos e se mantém até hoje. Daqueles com quem se vai falando cada vez menos, mas daqueles que parece que é de sangue, tal é o nível de confiança.
    - Oh Fred, tu sabes lá se o Domingos é bom médico ou sabes lá se ele copiou todas as cadeiras, homem...
    - Liga-me já para o Domingos, caraças!!
    E a Andreia ligou. E o Domingos mandou-se ao caminho, tal como o Fred esperava. Esperava agora saber por experiência própria se o Domingos era assim tão bom médico como o Fred esperava.
    - Se tivesse vindo o INEM, já estavas em Santa Maria... és tão teimoso, Fred.
    - Andreia... importas-te que eu decida o que é que é melhor para mim?
    E tossia. E o sangue voava. E o sangue manchava mais um guardanapo de pano que a Andreia lhe passava.
    - Oh Andreia, não me dês guardanapos de pano, que estas nódoas não saem... dá-me os panos de limpar o chão ou papel de cozinha, caraças.
    - Mas o papel de cozinha ensopa logo...
    - Então - e o sangue voava - dá-me os panos de limpar o chão.
    E o Domingos a caminho, sem saber bem ao que ia. Tinha recomendado ao Fred que fosse para Santa Maria, como sugeria também a Andreia, mas o Fred parecia que tinha feito uma aposta com o diabo em como o Domingos o safava, mesmo sem o Domingos saber ao que é que o Fred o chamava.
    - Ele deve estar quase aí, onde é que ele mora, Fred?
    - Mora ali para Benfica.
    - Oh Fred... com o trânsito que está a esta hora... não é melhor chamar mesmo o INEM?
    - Confia Andreia, que a coisa está feia, mas o Domingos remedeia.
    - Não deves estar assim tão mal, se te pões com rimas dessas...
    - Isto rimou? - e o sangue de repente, em vez de voar, jorrou.
    - Fred!! Oh Fred, porra, que teimoso, vou chamar o INEM.
    Mas o Domingos tocou à porta. E subiu a voar. E o Fred sabia que o Domingos o ia safar. Sempre se deram bem, o Domingos sempre foi aluno exemplar, sempre foi uma pessoa cheia de princípios, desde pequenino e desde pepino, de certeza que não tinha mudado muito, com o passar dos anos. E de certeza que tinha terminado o curso com distinção e que nunca tinha deixado morrer um irmão.
    - Então Fred, que se passa contigo? Este sangue todo é teu?
    - Olá Domingos, como é que vai isso? Pá, é meu, era meu... Esta merda parece um rio cada vez que tusso.
    - Porque é que não chamaste o INEM, Fred? Vamos já descer, vamos no meu carro, tens de ir já para Santa Maria.
    - Era o que eu lhe dizia!
    - Andreia, agarra-o desse lado que eu agarro deste lado.
    - Fred! Mantém-te acordado - e ele já de rosto meio fechado.
    - Fred!! - gritava a Andreia.
    - Domingos, meu amigo, vais-me safar, não vais? - gemeu o Fred, como a dor manda.
    - Claro, Fred, vamos, aguenta-te mais um bocado, anda.
    Mas o Fred não se aguentou e deixou-se cair. E o Domingos incrédulo e a Andreia a carpir. Ambos a olhar para o chão, para o corpo morto do Fred, teimoso como um burro, já de olhos fechados, mas ainda assim casmurro.
    - Porra, Fred... - chorava a Andreia com os pulmões a rebentar, sem saber como remediar.
    - Porra, Fred... no estado em que estavas, nunca te conseguiria safar.

    segunda-feira, abril 27, 2009

    Em DesAcordo

    meus caros

    o acordo ortográfico está a chegar, mas das mais variadas formas, nas entrelinhas, ou, em bom português de Portugal, mesmo "de surra".

    veja-se o site para a promoção do Concurso Doc TV

    http://doctv.cplp.ica-ip.pt/Regulamento.aspx

    nesta página, tudo vem escrito em português, de Portugal, não havendo hipótese de alteração para a língua inglesa ou brasileira ou crioulo ou chinesa.

    porém, quando começamos a ler o regulamento do concurso, deparamo-nos com pérolas como:

    na 1ª página:

    com o objetivo específico de sistematizar ações de capacitação,


    PROJETO INÉDITO: o Concurso Internacional de Seleção de Projetos de Documentário do I Programa DOCTV CPLP entende por PROJETO INÉDITO
    aquele que ainda não tenha sido objeto


    na 3ª página:

    A Teledifusão da Reprise do Documentário em sinal aberto, em faixas de programação a serem definidas pelas emissoras de

    na 7ª página:

    O documentarista se relacionará com o que/quem para levar a cabo sua Proposta de Documentário? Exemplos: personagens reais; produtos materiais e
    imateriais da ação humana;



    E os atentados continuam, em forma de "estréias", "objetos", "eletrónicas", "operadora pública de televisão", "fotos", "fitas betacam", "ELETRÔNICO" - na penúltima linha da página 13., etc etc...


    Que raio é um documentarista?
    E porque é que ele SE RELACIONARÁ em vez de relacionar-se-á?

    E já agora, perdoem a expressão, bem portuguesa, mas que caralho significa "REPRISE" ????
    Após uma busca pela internétxi, concluiu o (grande) autor tratar-se de um sinónimo, numa nova língua, do que em português se entende por REPOSIÇÃO.

    O acordo está a chegar... mesmo debaixo das nossas barbas... e, se nada fizermos, ele SE INSTALARÁ.

    sábado, abril 25, 2009
























    Hoje celebra-se uma data muito especial, o dia em que Portugal foi salvo de uma ditadura.
    E é preciso que nunca morra, esta celebração.
    Daqui a muitos anos já terão morrido todas as pessoas que viveram a revolução e os que cá ficam têm de passar a palavra sobre o que se passou, como se passou e, mais importante, porque é que se passou.
    Porque quando se tem uma coisa, muitas vezes não se lhe dá o valor que merece.
    Porém, a liberdade é mesmo a mãe de todas essas coisas.
    É o princípio de tudo.
    Falta-nos um namorado, falta-nos um braço, falta-nos um pulmão, falta-nos a saúde, falta-nos dinheiro, falta-nos o telemóvel, falta-nos tudo e mais alguma coisa.
    Mas de que é que serve ter tudo isso, se não se tem a liberdade para poder disso desfrutar?

    25 de Abril Sempre. No passado, no futuro e no presente.

    sexta-feira, abril 24, 2009

    Xau

    Viu o (grande) autor um anúncio em que um jovem de aproximadamente 12 anos atirava ao ar uma pizza já confeccionada, querendo provar ao amigo contemporâneo que conseguia fazer girar a pizza como fazem os pizzaiolos.
    A pizza acaba nas calças e camisa do jovem, ao que chega a mãe e diz:

    - E agora? Como é que eu vou tirar essas nódoas?

    E aparece uma amiga da mãe com um detergente testado em alcatrão na Roménia e sorriem todos muito felizes, mãe, amiga conselheira, filho sem educação e amigo do filho que é gay-mas-ainda-não-sabe.

    O (grande) autor acha que o anúncio serve os própositos à empresa que comercializa a marca, está certo.
    Mas, sendo na vida real, após o derrame do molho de tomate pelo vestuário infantil, o filme seria mais ou menos este, sendo de frisar o início semelhante:

    - E agora? Como é que eu vou tirar essas nódoas... negras que te vão encher a cara toda depois de eu te assentar 2 ou 3 bem dadas e depois de o teu pai chegar e ver a merda que fizeste e te assentar mais 3 ou 4 e depois chegas à escola amanhã e a directora de turma vai-te perguntar o que aconteceu e tu vais dizer que caiste das escadas com medo de ainda apanhares mais e tens razão porque era mesmo isso que te ia acontecer mas a directora de turma tem a mania que é esperta e sabe que tu vives num rés-do-chão e que não tens de subir escadas para ir para casa mas até podia ter sido em casa dum amigo teu mas ela acha que é mãe de toda a gente só porque não pode ter filhos e o marido a deixou por aquela morena que vivia aqui ao lado antes que por acaso até deve dar bem de mamar e se eu tivesse dinheiro pagava a um doutor para me deixar assim e então vai ligar para a assistente social e ela vai vir cá a casa e o teu pai vai ter de tomar banho e não beber até ela se ir embora para parecer que a gente é gente fina e mesmo assim a directora vai ligar para a TVI a dizer que tem uma história do caraças para vender sobre pais que maltratam criancinhas mas eles não vão querer porque estamos na altura dos incêndios e eles querem é velhinhas sem casa e sem nada lá no meio de Portugal porque ardeu tudo e porque isso é que vende e então a directora vai desistir de ser tua mãezinha porque para isso tou cá eu para isso e para te meter na linha e tu vais voltar para casa depois dos tempos livres e se ela não te mandar nenhum recado para casa a dizer que quer falar connosco porque pegaste fogo a mais um caixote de lixo e se o Benfica tiver ganho pode ser que tu até te safes.

    quinta-feira, abril 23, 2009

    Reset Humano II

    Por aqui continua a ser pedido o reset à raça humana.
    O pedido não é concedido e as provas de que é preciso não cessam.
    Se um gajo carrega no link para a máquina, que sucederá?

    quarta-feira, abril 22, 2009

    Mira (la) Técnica Blogger


    retirado do blogaria pegada, o penúltimo dos "outros blogs" apresentados na parte direita deste estaminé.

    na opinião do (grande) autor, este é o post que todos os bloggers, blogueiros, bloguistas e donos de um blog deviam colocar uma vez por ano, ao mesmo tempo.
    assim uma espécie de mira técnica geral durante 24 horas.
    para se fazer uma desfragmentação de disco humana.

    a começar por aqui, claro.

    terça-feira, abril 21, 2009

    Lam Echa

    Uma das melhores coisas que se obtém pelo simples facto de se ter amigos com quem um gajo se dá bem é aquela coisa de haver frases que apenas são entendidas entre os amigos, mas que aos ouvidos do comum mortal, constituem frases perfeitamente normais.
    São as chamadas "privates".
    Não confundir com os privados, que geralmente envolvem um espaço de um metro quadrado, um vidro e bailarinas com sotaque.
    Pelo menos é o que dizem.

    Voltando ao tema, naqueles momentos em que se ouve a frase chave, a private, a ser proferida por um comum mortal, o sorriso (ou até mesmo a gargalhada) não se contém e escapa boca fora.

    E é isso, essa coisa simples, uma das melhores coisas que se pode adquirir através da aquisição de amigos.
    No supermercado mais próximo, junto aos cereais.

    sexta-feira, abril 17, 2009

    Subscrevendo Clara Ferreira Alves

    "Não admira que num país assim emerjam cavalgaduras, que chegam ao
    topo, dizendo ter formação, que nunca adquiriram, que usem dinheiros
    públicos (fortunas escandalosas) para se promoverem pessoalmente face
    a um público acrítico, burro e embrutecido.

    Este é um país em que a Câmara Municipal de Lisboa, desde o 25 de
    Abril distribui casas de RENDA ECONÓMICA - mas não de construção
    económica - aos seus altos funcionários e jornalistas, em que estes
    últimos, em atitude de gratidão, passaram a esconder as verdadeiras
    notícias e passaram a "prostituir-se" na sua dignidade profissional, a
    troco de participar nos roubos de dinheiros públicos, destinados a
    gente carenciada, mas mais honesta que estes bandalhos.

    Em dado momento a actividade do jornalismo constituiu-se como O
    VERDADEIRO PODER. Só pela sua acção se sabia a verdade sobre os podres
    forjados pelos políticos e pelo poder judicial. Agora contínua a ser o
    VERDADEIRO PODER mas senta-se à mesa dos corruptos e com eles partilha
    os despojos, rapando os ossos ao esqueleto deste povo burro e
    embrutecido. Para garantir que vai continuar burro o grande cavallia
    (que em português significa cavalgadura) desferiu o golpe de morte ao
    ensino público e coroou a acção com a criação das Novas Oportunidades.

    Gente assim mal formada vai aceitar tudo e o país será o pátio de
    recreio dos mafiosos.

    A justiça portuguesa não é apenas cega. É surda, muda, coxa e marreca.


    Portugal tem um défice de responsabilidade civil, criminal e moral
    muito maior do que o seu défice financeiro, e nenhum português se
    preocupa com isso, apesar de pagar os custos da morosidade, do
    secretismo, do encobrimento, do compadrio e da corrupção. Os
    portugueses, na sua infinita e pacata desordem existencial, acham tudo
    "normal" e encolhem os ombros. Por uma vez gostava que em Portugal
    alguma coisa tivesse um fim, ponto final, assunto arrumado. Não se
    fala mais nisso. Vivemos no país mais inconclusivo do mundo, em
    permanente agitação sobre tudo e sem concluir nada.

    Desde os Templários e as obras de Santa Engrácia, que se sabe que,
    nada acaba em Portugal, nada é levado às últimas Consequências, nada é
    definitivo e tudo é improvisado, temporário, desenrascado.

    Da morte de Francisco Sá Carneiro e do eterno mistério que a rodeia,
    foi crime, não foi crime, ao desaparecimento de Madeleine McCann ou ao
    caso Casa Pia, sabemos de antemão que nunca saberemos o fim destas
    histórias, nem o que verdadeiramente se passou, nem quem são os
    criminosos ou quantos crimes houve.

    Tudo a que temos direito são informações caídas a conta-gotas, pedaços
    de enigma, peças do quebra-cabeças. E habituámo-nos a prescindir de
    apurar a verdade porque intimamente achamos que não saber o final da
    história é uma coisa normal em Portugal, e que este é um país onde as
    coisas importantes são "abafadas", como se vivêssemos ainda em
    ditadura.

    E os novos códigos Penal e de Processo Penal em nada vão mudar este
    estado de coisas. Apesar dos jornais e das televisões, dos blogs, dos
    computadores e da Internet, apesar de termos acesso em tempo real ao
    maior número de notícias de sempre, continuamos sem saber nada, e
    esperando nunca vir a saber com toda a naturalidade.

    Do caso Portucale à Operação Furacão, da compra dos submarinos às
    escutas ao primeiro-ministro, do caso da Universidade Independente ao
    caso da Universidade Moderna, do Futebol Clube do Porto ao Sport
    Lisboa Benfica, da corrupção dos árbitros à corrupção dos autarcas, de
    Fátima Felgueiras a Isaltino Morais, da Braga Parques ao grande
    empresário Bibi, das queixas tardias de Catalina Pestana às de João
    Cravinho, há por aí alguém quem acredite que algum destes secretos
    arquivos e seus possíveis e alegados, muitos alegados crimes, acabem
    por ser investigados, julgados e devidamente punidos?

    Vale e Azevedo pagou por todos?

    Quem se lembra dos doentes infectados por acidente e negligência de
    Leonor Beleza com o vírus da sida?

    Quem se lembra do miúdo electrocutado no semáforo e do outro afogado
    num parque aquático?

    Quem se lembra das crianças assassinadas na Madeira e do mistério dos
    crimes imputados ao padre Frederico?

    Quem se lembra que um dos raros condenados em Portugal, o mesmo padre
    Frederico, acabou a passear no Calçadão de Copacabana?

    Quem se lembra do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja
    cabeça foi roubada do Instituto de Medicina Legal?

    Em todos estes casos, e muitos outros, menos falados e tão sombrios e
    enrodilhados como estes, a verdade a que tivemos direito foi nenhuma.

    No caso McCann, cujos desenvolvimentos vão do escabroso ao incrível,
    alguém acredita que se venha a descobrir o corpo da criança ou a
    condenar alguém?

    As últimas notícias dizem que Gerry McCann não seria pai biológico da
    criança, contribuindo para a confusão desta investigação em que a
    Polícia espalha rumores e indícios que não têm substância.

    E a miúda desaparecida em Figueira? O que lhe aconteceu? E todas as
    crianças desaparecida antes delas, quem as procurou?

    E o processo do Parque, onde tantos clientes buscavam prostitutos,
    alguns menores, onde tanta gente "importante" estava envolvida, o que
    aconteceu?

    Arranjou-se um bode expiatório, foi o que aconteceu.

    E as famosas fotografias de Teresa Costa Macedo? Aquelas em que ela
    reconheceu imensa gente "importante", jogadores de futebol,
    milionários, políticos, onde estão? Foram destruídas? Quem as destruiu
    e porquê?

    E os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran mais os negócios
    escuros do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal, onde é que
    isso pára?

    O mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz,
    apeado por causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para
    a sua filha.

    E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter
    assassinado doentes por negligência? Exerce medicina?

    E os que sobram e todos os dias vão praticando os seus crimes de
    colarinho branco sabendo que a justiça portuguesa não é apenas cega, é
    surda, muda, coxa e marreca.

    Passado o prazo da intriga e do sensacionalismo, todos estes casos são
    arquivados nas gavetas das nossas consciências e condenados ao
    esquecimento.

    Ninguém quer saber a verdade. Ou, pelo menos, tentar saber a verdade.

    Nunca saberemos a verdade sobre o caso Casa Pia, nem saberemos quem
    eram as redes e os "senhores importantes" que abusaram, abusam e
    abusarão de crianças em Portugal, sejam rapazes ou raparigas, visto
    que os abusos sobre meninas ficaram sempre na sombra.

    Existe em Portugal uma camada subterrânea de segredos e injustiças ,
    de protecções e lavagens , de corporações e famílias , de eminências e
    reputações, de dinheiros e negociações que impede a escavação da
    verdade.

    Este é o maior fracasso da democracia portuguesa"


    in Única_ Expresso

    quinta-feira, abril 16, 2009

    2º Mandamento da Googlização

    Seja qual for a questão que coloques ao Senhor Google, estejas em que país estiveres, Ele responder-te-á sempre com 3.287 links para sites brasileiros, demorando entre 0,15 e 0,38 segundos.

    1º Mandamento da Googlização

    Qualquer questão que colocares ao Senhor Google, já alguém antes de ti a colocou.

    segunda-feira, abril 13, 2009

    Reset Humano

    Será possível haver um "Reset" na vida Humana?
    Um começar de novo, do zero.
    Bem se sabe que já atingimos muito, houve uma evolução tremenda... mas há novas provas de que precisamos de um reset, precisamos de voltar à estaca zero e eliminar alguns passos mal dados no caminho.

    Dantes existia o spam via e-mail.
    Agora existe o spam via telemóvel.
    Mas do inexplicável.
    Atentem à mensagem recebida:

    "Não vá o diabo tecer as coisas... :)
    Desculpa, mas também me enviaram, e não kero arriscar!
    Nunca deixes akilo k amas por akilo k desejas, pois akilo k desejas te deixará pelo k ama!
    Hoje às 00:00h, o teu amor verdadeiro dará conta de k te ama!
    Algo acontecerá entre a 1 e as 4.
    Amanhã prepara-te para a maior sorte da tua vida.
    Se romperes esta corrente terás azar no amor nos próximos 10 anos!
    Passa a 15 pessoas.
    Kem te enviar de volta é pk gosta mt de ti"

    Daqui se concluem 4 coisas:

    1 - As empresas de telemóveis andam cada vez mais espertas e os utilizadores de telemóveis cada vez mais... aaaahh... no mínimo... supersticiosos.

    2 - Esta mensagem de amor profundo baseado na sorte da madrugada tem 458 caracteres (incluindo espaços), segundo o contador de caracteres do Word. Uma mensagem de telemóvel comporta 160 caracteres e custa, geralmente, 10 cêntimos. Por muitas pessoas que digam que têm mensagens grátis, haverá sempre 2 ou 3 que não as têm e que vão enviar a mensagem na mesma, preferindo pagar 1,50€ do que não ter amor nos próximos dez anos e não saber o que acontecerá entre a 1 e as 4 da matina, enquanto se estiverem a babar na almofada.
    É fazer as contas ao dinheiro que os utilizadores supersticiosos andam a dar às empresas de telemóveis.

    3 - A pessoa que reencaminhar esta mensagem perderá a credibilidade de, no mínimo, 8 das 15 pessoas para quem a enviou.

    4 - Duas dessas 8 destruirão o telemóvel ao ler a mensagem, por irritação, tendo de adquirir um aparelho novo, dando assim mais dinheiro à indústria do telemóvel.


    Conclui-se desta forma que a Humanidade precisa de um reset, voltando a fazer fogo com pauzinhos e a mandar mensagens... de fumo.

    sábado, abril 11, 2009

    Big Bang - O Regresso

    Um gajo sabe que o Mundo não vai na direccção certa quando liga a televisão e se depara com o seguinte excerto da programação:

    10h15 - As Raparigas da Mansão Playboy

    12h - Snoop Dogg Fatherhood - A Linhagem de Snoop Dogg

    19h - Brazil's next Top Model

    quarta-feira, abril 08, 2009

    Jeopardy

    "O primeiro-ministro italiano voltou às declarações polémicas. Referindo-se às vítimas do sismo que na passada segunda-feira abalou a região centro de Itália e aos milhares de desalojados que estão provisoriamente acomodados em tendas, Silvio Berlusconi disse para encararem a situação como "um fim-de-semana no parque de campismo".

    “Não lhes falta nada. Têm cuidados médicos, comida quente... Claro que o actual lugar de abrigo é provisório, mas há que encarar a situação como um fim-de-semana no parque de campismo”, respondeu Berlusconi à cadeia de televisão alemã N-TV.

    O sismo já provocou pelo menos 250 mortos, segundo o mais recente balanço divulgado hoje pela Protecção Civil, citada pela agência Ansa.

    O número de feridos (cerca de mil) e de sem-abrigo (17.000) mantém-se inalterado desde o mais recente balanço fornecido pelo centro de coordenação de socorro de L'Aquila e pela Protecção Civil."

    in Público online

    Pergunta: O que é uma besta quadrada?

    segunda-feira, abril 06, 2009

    Crtl+Z



    sábado, abril 04, 2009

    Maravilha

    Uma das maiores maravilhas da informática é a desfragmentação de disco.
    É um processo belo, na verdadeira acepção da palavra.
    Aquelas barrinhas todas coloridas a agruparem-se e a formarem uma só, azul escura, ladeada por umas verdes e uns espaços brancos.
    Assim, merece a pena.

    quarta-feira, abril 01, 2009

    Mas Porque Raio É Que

    Surgem sempre, mas sempre... sempre, sempre , sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre sites brasileiros quando se faz uma procura no google português?


    A palavra "sempre" perdeu agora todo o sentido, comprovando o famoso dito popular se repetes uma palavra muitas vezes seguidas, ela perde todo o sentido.

    domingo, março 29, 2009

    Gumes

    Dizer mal é fácil.
    Fazer melhor é mais difícil.
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    Mas o Rui Santos podia não aparecer mais na televisão a falar sobre futebol.
    Se for possível.

    sábado, março 28, 2009

    Se

    Para o Liedson não vir para a selecção, Portugal tiver de perder hoje por 5-0 com os suecos, venha de lá essa mão cheia, por favor, enquanto no estádio se ouve Zeca Afonso.

    Porque para ter jogadores de vários países, existem os clubes.

    E assim, se Portugal não for ao Mundial, pode ser que no telejornal deixem de existir "directos a partir da entrada do hotel onde está a selecção" para comunicarem que os jogadores foram fazer um treino às 11h da manhã e que vão comer goiaba à sobremesa do almoço.

    E pode ser que a TVI deixe de fazer "emissões especiais" que duram as 4 horas anteriores ao jogo.

    E pode ser que também acabe a fome e a guerra no Mundo.

    E que apareça o elixir da juventude.

    Da Colgate.

    quinta-feira, março 26, 2009

    E Já Agora

    Seria possível transformar a vida como a vemos e vivemos em vida wireless?
    Se fizer o favor, senhora Natureza que inventou o Mundo.

    quarta-feira, março 25, 2009

    Nova Definição de "Pessoa Querida"

    Nos tempos que correm, por vezes não se consegue definir bem quem são aqueles que nos são queridos ou não.
    Por isso, adequando-se às novas tecnologias e à sociedade actual, vem o (grande) autor contribuir com mais uma pérola de antropologia:

    Sabemos que uma pessoa nos é querida quando lhe enviamos aqueles e-mails sobre como sobreviver a um ataque cardíaco fulminante, como tratar uma queimadura de lava ou como reagir em caso de tentativa de assalto por parte de cidadãos de países do Leste da Europa, mesmo sabendo que a pessoa nos vai chamar qualquer coisa mais grave que "chato do caraças" quando os receber.

    terça-feira, março 24, 2009

    Palavra d' Honra

    Já sabia que ia morrer.
    Já sabia.
    Porra.
    Pelo cenário, pelos intervenientes, pela conjuntura, conjectura e pela sua cabeça dura.
    Viu a vida toda a passar-lhe à frente dos olhos.
    Como nos filmes, como no que lhe contou o Arnaldo Beto sobre o que viu enquanto teve aquele AVC e depois esteve três dias deitado de boca aberta em Santa Maria.
    Tudo apontava para a sua morte.
    Viu a escola onde andou, o jardim onde brincou, as ruas onde passou a maior parte da sua vida.
    Tudo desfilava à sua frente, um filme pessoal, onde ele era protagonista e o resto do Mundo o cenário.
    E tudo isso pela janelinha arredondada.
    "Palavra d'honra, que maneira de avisar um gajo."
    Ali estava tudo, a copa das árvores às quais subiu em miúdo, os bancos que faziam de balizas, o telhado da padaria onde trabalhou toda a sua vida, a cruz da Igreja onde ia à missa, o estádio onde viu o seu neto fazer reviengas aos adversários, o lago para onde atirou o Martins depois de o ter pontapeado nos tomates.
    Tudo.
    Já sabia que ia morrer, já sabia.
    E mais certezas teve quando o comandante proferiu o discurso final:
    "cabin crew, 2 minutes for landing".
    Não sabia o que queria dizer exactamente essa frase, mas claramente era um aviso.
    Era "o" aviso.
    E vindo ele do céu, mais vinculativo e coerente não poderia ser.
    "Vamos cair."
    Pronto, esperava que fosse rápido e pouco doloroso.
    Ou rápido e muito doloroso, lembrando-se dos berlindes que roubou ao Tóni no 1º ciclo.
    Fechou os olhos, lembrou-se dos últimas imagens da sua vida que viu pela janelinha arredondada e amaldiçoou o momento em que se deixou convencer pela mulher a entrar naquele maldito aparelho pela primeira vez.
    Primeira e última, estava-se mesmo a ver.
    Flaps, rodas, cabrum, breaks.
    "E há 3 semanas que não me confesso, caraças. Vamos lá ver se vou lá para cima ou lá para baixo. Palavra d' honra..."

    quarta-feira, março 18, 2009

    It's Just Another Manic Monday

    Um dos (grandes) objectivos de qualquer trabalhador que se preze é o de que chegue a Sexta-feira.
    Dia a dia, durante a semana, cada vez se vai estando mais próximo da Sexta-feira.
    Por isso, o (grande) autor queria viver no Japão.
    Porque lá a Sexta-feira chega sempre mais depressa do que chega em Portugal.
    E deve ser por isso que a malta do Oriente tem toda os olhos em bico.
    Deve ser de estarem sempre a franzir os olhos, a ver se vêem a sexta-feira a chegar lá ao fundo da rua.

    quinta-feira, março 12, 2009

    Na Cara Tem Mais Graça

    O que é mais giro nos telejornais é que 99,99999999% das notícias sobre economia nacional ou mundial são sobre a crise, as pessoas que estão mais pobres com a crise, a crise da morte, a crise da vida, a crise no emprego, a crise na habitação, a crise na compra do pão, a crise do cidadão, a crise do pobre, a crise do gigante e a crise do anão.
    Porém, pelo meio, uma das notícias, de extensão (e existência) claramente duvidável, vem contar ao pobre, ao remediado e ao desesperado que a lista dos mais ricos do Mundo mudou, que o Bill Gates já é outra vez o mais rico do Mundo, que o Belmiro isto e o Amorim aquilo.
    Sim senhor, quando se goza com as pessoas na cara, tem mais graça ainda.

    domingo, março 08, 2009

    Ah Fadista!

    Ontem foi o (grande) autor medir a sua febre de sábado à noite numa casa de fados, localizada num local escondido, longe das Canon e notas de cem aéreos dos turistas.
    Lá pelo meio, um velhote fadista destacava-se, não pela qualidade do fado (que não era nada mau), mas pelo facto de ser cicioso (ccxxiccxxioso), não conseguir dizer os "érres", trocando-os pelos "éles" e estar com a fala um pouco arrastada, derivado à cerveja sem álcool.
    Sinceramente, é como ser cirurgião e não ter 3 dedos.
    Como ser piloto de fórmula 1 e não ter um braço.
    É como ser psicólogo e ser esquizofrénico.
    Este conjunto de factos deu pano para umas longas mangas de sugestões que se poderiam ter dado ao homem, mas que, claro, ficaram entre a pandilha de maldizentes invejosos.

    - Oh homem, para cantar tem de tirar a meia da boca.
    - Oh amigo, mastigue e engula primeiro e depois cante!
    - Oh chefe, desenrole a língua que ainda se afoga!
    - Oh amigo, tire o bife da vazia da boca!
    - Oh homem, saia de dentro do poço!

    Mas que foram uns bons momentos à antiga portuguesa, lá isso foram.

    quinta-feira, março 05, 2009

    Fakin El

    Hora de entrada na loja do cidadão para pedir certificado de registo criminal - 16h26

    Número de senha atribuído pela maquininha - 488

    Número em que vai, olhando para aquele ecrã com números vermelhos - 367

    Hora de atendimento, finalmente - 18h32

    Número de segundos que demorou a emissão do certificado - 57

    Hora de saída daquele "serviço" estatal - 18h33

    Novo nome para a loja do cidadão - Loja do cidadão-suicida

    terça-feira, março 03, 2009

    Acerca dos Aeroportos de Barcelona

    Um amigo do (grande) autor colocou-lhe uma questão sobre os referidos acima.
    A resposta, para os possíveis interessados em para lá viajar, foi a reproduzida em seguida.

    man.
    reza assim:

    GIRONA é o aeroporto mais longe, fica a 110km de Barcelona e a uma hora e tal de autocarro, no qual se paga 12euros ida ou volta ou 22 ida e volta.
    é de onde voam companhias lowcostasfodido como a ryanair (sempre) e easyjet (geralmente), entre outras.
    é de evitar, se puder ser, porque se poupa no bilhete baratucho ryanair mas gasta-se nesse autocarro e nos cabelos brancos derivado ao stress e de ires sempre parar a aeroportos equivalentes ao de GIRONA, mas em Paris ou Roma ou caralhos ta fodam.
    foi o que me aconteceu quando fui para Londres (não que te interesse minimamente, claro), fui parar a Lutton e jurei para nunca mais.
    um verdadeiro nico d'obra, perdes um dia nessa merda e uns 42 anos de vida, para além de te começar a cair a pele entre as sobrancelhas, por causa do ar seco dentro do aeroporto e do avião.
    leva o creme nivea, claro.


    EL PRAT, é o aeroporto de Barcelona por excelência (devem existir aeroportos por excelência, já que existem hotéis de charme e pousadas da juventude) como se o da Portela fosse o de Lisboa e o da Ota ou Alcochete ou Vila Franca ou Vila Viçosa ou Barrancos fosse o de Girona, entendes?
    é o mesmo onde aterraste dessa vez, fica a 30min do centro (centro mesmo, praça da catalunya, cuidado com as romenas que andam lá a pedir esmola e a levar as tuas malas para longe) se fores no aerobus (4,05 euros cada viagem, não há ida e volta) e é de onde voam as companhias ditas normais, e também algumas lowcostasassimassimdefodido, como a vueling, a clickair, etc.
    de frisar que agora abriu um terminal novo e convém, à volta para Lisboa, ver bem em que terminal apanhas a lata de atum de regresso à terrinha, senão há o risco de fazeres uma maratonazinha dentro do aeroporto, por teres saído na paragem errada do aerobus e, claro, perderes mais uns 20 anos de vida e teres de pôr um pacemaker em Santa Maria.
    daí a uns 11 anos, claro.

    satisfeito?

    bejoTas
     
    origem