segunda-feira, março 24, 2008

Paradoxos Barcilónicos

Porque nem só de alegrias e risos vive um gajo, há que salientar um aspecto tenebroso da Barcilónia.
Por estas bandas, as caixas multibanco têm trancas.
Ou seja, pode qualquer pessoa entrar na caixa multibanco e, para sua segurança, trancar-se lá dentro, até concluída a operação.
Porém, os sem-abrigo aproveitam-se deste facto para, dado que lá dentro é bem mais quentinho que cá fora, trancar-se e dormir até que venha a polícia ou que o banco abra.
Há uns que não se trancam, apenas entram, deitam os seus cartões no chão e dormem.
Outros há que até constroem as suas próprias casinhas de cartão, com os seus pacotinhos de vinho tipo Casal da Eira e os seus jornais.
Outros até têm telemóvel e falam sabe-se lá com quem, deitados no chão, como já presenciou o (grande) autor.
Mas haverá maior paradoxo?
Um gajo entrar todo contente para levantar aqueles 10 eurinhos para ir sair à noite com os amigos e deparar-se com alguém literalmente deitado ao lado da máquina (aquela que cospe dinheiro), sem sequer ter uns trocos para um colchão ou coisa que o valha?
Se não for isto que nos faz dar valor ao que temos, seja muito ou pouco, o que será?

1 comentário:

3a disse...

temos que deixar de ter conversas filosóficas no autocarro =)

 
origem