quinta-feira, dezembro 10, 2009

M.T.T.D.

Hoje morreu a bisavó do (grande) autor, aquela a quem o gajo queria arranjar um trisneto falso.
Para quem não sabe, a história foi contada neste tasco, mais precisamente aqui.
Enfim, hoje provou-se mais uma vez que o que contam são os actos e não as intenções.
As intenções podem ajudar, ou não, mas ao fim e ao cabo, ou se faz ou não se faz, ou se é ou não se é.
Pensar que ia fazer ou queria ter sido?
Balelas.
Se um gajo quer fazer alguma coisa não pode dizer "epá, tenho de fazer isto ou aquilo".
Só resulta quando um gajo diz "epá, vou fazer isto ou aquilo".
Porque se assim não for, em 99% dos casos...
O mais tarde transforma-se em tarde demais.

4 comentários:

LSDee disse...

Eu continuo a achar que teria sido muito boa ideia a que deste há uns tempos, mesmo sem o aval do resto da família. Se era o que a senhora queria - e para ser bisavó é preciso ter-se vivido muito para se poder pedir coisas simples que não controlamos, tais como passar ao patamar seguinte na pirâmide parental - a tua proposta mostrava como estavas muito mais interessado em agradecer-lhe a presença na tua vida, do que quão incorrecto isso poderia ter sido.
Tens razão, contam os actos. Mas não desprezes com um aceno de mão a importância das intenções. Porque às vezes um (grande) gajo pode querer muito fazer algo grande, e ser impedido pela (grande) família. E nesse caso, o que conta mesmo é a intenção... Digo eu...

ADN disse...

Olá J. Como estás?
Lamento da tua bisavó. É mesmo grande verdade o que disseste. E nota-se bem a diferença entre intenções e acções quando além morre. Depois é "tarde demais" como disseste.. Toca de pensar nisso diariamente.
Pessoalmente a tua ideia da mentira não me convenceu. É verdade, encontrei uma foto, prova, que te vi no Jamaica no verão, chamei-te e não respondeste. Mau...
André @Berlin

Anónimo disse...

O melhor é mesmo dizer:
"Fiz isto."

Nandinho Jr. disse...

Os meus sentimentos!

Eu era dos que achava que a mentira era pequenina demais para o resultado final.. tal como a LSDee muito bem diz!

Quanto ao que dizes agora, é realmente fácil dizer.. o fazer é que custa mais. Há alguns anos atrás, numa situação semelhante (e ao mesmo tempo diferente) um amigo disse-me, após ter perdido um amigo chegado que o tinha convidado para uma festa uns fins-de-semana antes e ele ter recusado por "não dar jeito", que a partir desse dia não ia arranjar desculpas para nada, ia a tudo! Duvido que na semana seguinte ainda tivesse a mesma força de ideias... é pena, mas é assim que funciona. abraço

 
origem